Absinto

Respeito às diferenças é meu cólon.

Tava lendo um texto sobre um cara que se descobriu soropositivo e pronto, todo mundo se afastou.
Me chateei. De verdade. Porque eu sou gente e me chateio com essas coisas.
Não que eu tenha descoberto uma grande novidade, mas é que toda vez que me deparo com a ignorância humana eu me incomodo. Fico irritada, de verdade.
Mas se tem uma coisa que me irrita mais ainda, é quando comba ignorância com hipocrisia (não que seja o caso do tal texto, que fique bem claro). Mas sabe, essa coisa toda de ter que falar “negro” ou, ainda pior, “afro-descendente”. De ser apedrejada por dizer “Fulano é biba”, sendo que o tal Fulano é biba mesmo! De “velhinho” passar a ser uma coisa pejorativa, de chegar ao cúmulo de inventarem a cretina expressão “melhor idade”. E um cego não vai ser menos cego se for chamado de “deficiente visual”.
O politicamente correto me irrita. Me irrita, porque pra mim gente é gente e pronto. Porque na minha cabeça e no meu universo, o que diferencia um ser humano de outro é o caráter, a personalidade. De resto, é tudamemamerda. Igualzinho, sem tirar nem pôr.
Eu não penso antes de me referir a uma pessoa por a ou b. E chamo um de “preto” do mesmo jeito que chamo outro de “branco”. Nunca chamei ninguém de “alvo” na minha vida, porque raios vou ter que chamar outro de “negro”?
Mas tem uma terceira coisa que eu gosto menos ainda se for combada com as outras duas: peninha. Sabe, quando o sujeito virou santo porque morreu ou porque ficou doente?

Acho meio furado esse papo – e aqui aproveito mais ou menos as mesmas palavras que usei pra comentar lá no Bearshout – de “tem que amar o soropositivo”. 

Tem que amar quem você ama e pronto. 
O sujeito não passou a ser mais burro, mais feio, mais chato e menos interessante porque ficou doente, certo? Nem mais bonito, charmoso, inteligente, coisa e tal. Da mesma maneira que melanina não dita caráter, as pessoas são quem são, com ou sem HIV. 
De repente rola uma mudança de postura e o sujeito fica mais interessante, mas isso não é o vírus que causa. De repente a pessoa se toca que a vida é curta, revê uns conceitos, evolui, passa a ser menos cabeção, intransigente. Mas aí já é outra questão, sabe? Não tem coisa alguma que ver com o fato de ser aidético ou não. Tem, sim, com uma espécie de epifania, com a mudança no jeito de ver e lidar com as coisas. E isso é de cada um.
Acho que se o sujeito é amigo, é amigo e pronto. E se é inimigo, idem. Por que raios essa mania de querer tratar diferente?
Gente é tudo gente. É tudo igual. A diferença, reitero, vem no comportamento, no caráter. No jeito de lidar com o mundo e com as coisas!
Criança pensa; adulto pensa; velho pensa; índio pensa; japonês pensa; preto pensa; cego pensa; surdo pensa; aleijado pensa; aidético pensa; leproso pensa. E nenhum desses pensamentos é mais ou menos válido pela sua origem, mas sim pela sua qualidade. Cada cabeça é um universo e de lá podem sair tanto coisas cretinas quanto fantásticas – e, ora veja, às vezes cretinamente fantásticas!
Todas as cabeças são incríveis. Algumas, no entanto, são incompatíveis com a minha. Tem gente que eu não me dou porque o santo não bate e pronto. Cada um no seu cada qual. Não é algo simples? Não é óbvio?
Parece que não. 
Parece que o mundo entrou numas de querer se fingir de porreta, de achar que todo mundo é trouxa, que engana a gente pagando de bonzinho. Parece que fingir que trata igual só por arranjar nomes mais “bonitinhos” resolve esse imbecil problema cultural. Que tratar diferente vai fazer com que as pessoas se sintam menos agredidas ou subestimadas. Que o problema não está exatamente nessas pessoas que se enchem de dedos antes de se referir a outrem, seja lá qual for o motivo.
E eu fico putíssima com essa papagaiada toda.
Anúncios

Um comentário em “Respeito às diferenças é meu cólon.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s