Absinto

Ode À Bendita Crase!

Vamo lá, que tem gente que não entendeu ainda:
 
Acento agudo aponta pra LÁ
Acento grave aponta À esquerda
 
E quando usar?
O agudo a gente usa em algumas palavras pra marcar a sílaba tônica. A depender da quantidade de sílabas, é obrigatório pôr o acento, porque se não puser fica difícil entender só de ler como se fala aquela palavra. Então, pra que todo mundo consiga entender o que o outro tá dizendo, a gente cria um padrão, que é pra todo mundo falar mais ou menos parecido, na medida do possível.
 
Já o acento grave, aquele agudo ao contrário, é super controverso e UMA GALERA não faz a menor ideia de como usa ou pra que diabo serve. Mas tia explica!
Antigamente, se usava bastante o acento grave numa palavra que tinha acento agudo e virava uma outra, tipos “incrível” virava “incrìvelmente” e assim por diante (advérbio é um assunto mais sensível e emocional, a gente desenvolve sobre ele depois).
 
Para o bem de todos e felicidade geral da nação, essa norma caiu. Caiu porque era inútil e, apesar de deixar a palavra enfeitada e bonitinha, por mais que doa, precisamos admitir: não prestava pra nada.
 
Mas tem outra regrinha que geral não aprendeu ainda e que eu juro, JURO PRA VOCÊS, é muito muito facinha: a bendita da crase.
 
Pra que serve a crase? Serve pra você não parecer um tongo falando ou escrevendo a mesma letra duas vezes. Ou, mais ainda, pra não parecer um tongo pior, que fala as frases pela metade, faltando as coisas, ninguém entende, é uó.
 
Por exemplo: se eu digo que vou o parque, faz algum sentido pra você? Porque pra mim, não faz. “Você o parque o quê mô fio??”, vou perguntar logo.
Mas se a pessoa diz que vai AO parque, eu entendi o que ela vai fazer.
Se um indivíduo me diz que vai a praia, eu vou ficar confusa do mesmo jeito. “Ela vai praia o quêê??” Oo
Mas se o mesmo sujeito chega e me diz que “vai à praia”, eu vou entender o que ele quis dizer. Eu entendi que ele vai a a praia, mas que ele é um cara safo que juntou os dois azinhos ali numa coisa só e colocou uma crase muito bonita pra agilizar o rolê.
 
Pronto. É assim que você deve usar a crase.
“E quando mais devo usar a crase?”
Nunca mais você deve usar a crase. A crase você SÓ USA nesses casos: preposição (“vou A um salão”, “digo A ela”, “mostrei A ele”…) + artigo (a praia, a fazenda, a menina – do mesmo jeito que é o estúdio, o salame, o recital de poesia…)
 
Agora cês entenderam?
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s